A Fonte da Criação


Todos nós estamos criando continuamente ao longo do dia. Estamos criando a nossa vida principalmente a partir das crenças que estamos alimentando e mantendo dentro do nosso campo energético. Sabendo desse processo criativo, torna-se cada vez mais importante para o caminhante consciente observar qual é a fonte criadora do seu dia a dia.

Para muitos ainda, essa fonte criadora se basea em sentimentos de medo, de insegurança e de culpa, ou ainda no condicionamento do passado, nas repetições das experiências de vida, ou na ansiedade do futuro. É bom se dar conta que isso é apenas um jeito de funcionar que foi ensinado e aprendido, e que tudo que precisa é desaprender. Existe apenas um jeito de criar que não seja uma projeção do passado nem do futuro. Não tem muito mistério nisso, precisa “estar presente” em tudo que fizer até “viver totalmente no presente”. Mais uma vez, vamos ver que não precisamos entrar em detalhes complicados e técnicos para conseguir grandes melhoras na vida.

Viver no presente quer dizer criar a partir do nosso centro, a partir do que somos de verdade, sem deixar as ilusões dos nossos medos interferir com o ato criativo. Pelo mesmo jeito, é uma maneira de se enraizar com firmeza nessa dimensão e de ser real no mundo. Nada melhor para nós então, já que entendemos que não estamos buscando fugir daqui, mas ao contrário deixar o amor que somos se expressar totalmente aqui e agora.

Conversando com muitas pessoas a respeito disso, eu escuto muitas vezes dúvidas tal: “Como posso fazer para ter certeza de que estou presente e criando a partir do meu centro?”

Um dos objetivos das vivências New Paradigm MDT é exatamente de livrar os participantes dessas dúvidas, pelo simples processo de firmar, curar e expandir a conexão entre este plano onde estamos nos aventurando e o verdadeiro centro criador, a Presença Eu Sou. Essas vivências são do tipo de experiências que não deixam dúvidas e permitem de perceber com clareza a diferença entre os dois estados, principalmente a diferença de vibração.

Para quem ainda não conseguir distinguir essa vibração diretamente, eis aqui algumas dicas que podem ser fundamentais para começar:
- Procure observar seu ritmo (respiração, movimentos, pensamentos...)
- Procure observar seu estado de tensão (corporal, mental, postura crítica sobro tudo e todos...)
- Procure observar suas emoções

Esses simples passos básicos podem fazer a diferença para muitas pessoas que querem perceber se estão alinhadas com seu verdadeiro centro criador até que possam perceber diretamente seu estado vibracional.

Além de tudo, é bom se lembrar que precisamos de tempo para nós, tempo para integrar, e tempo para expressar. Eu vejo demais pessoas que têm um currículo de duas páginas em termos de práticas e workshops de auto-conhecimento e que não estão conseguindo aplicar nenhum ensinamento porque não estão se deixando o tempo para isso.

No final das contas, tudo isso não é nada complicado nem difícil. Mas precisa ser feito.

Com Amor,
Philippe


 
^ Voltar ao Topo